O peso que não agrada

O peso que não agrada


Desde que nasci, se preocuparam com meu peso. Desde pequena, era come menos daqui… Bebe menos dali, dá fruta pra essa criança, dona Mãe! Ah lá, claro que é culpa da mãe… Correndo atrás da pequena com um prato de comida na mão, também pudera ficar desse tamanho. Um cinismo em dizer que só queria meu bem, uh! As pessoas nunca mediram esforços para tal. Então fui crescendo, “gordinha” como uns falavam, e minha madrinha às vezes dizia “Como essa minina tá grande, alta, benza Deus!“,  “Tá forte, hein fia?!”. Toda debochada, nem ligava muito pra isso não.  Ao menos alguém! Valha-me Deusas, que infortúnio esse povo na minha oreia a vida inteira reclamando meu peso, contando minhas gramas de comida, regulando com olhar cada garfada que entrava em minha grande boca. Saravá, povo curioso! Querem sempre saber quanto eu peso! Deusolivre! Não te interessa! “Nossa, mas como você é grossa!”. E sou! Continuo a ser, vou morrer assim, muito obrigada. Se afaste, eu vou passar. Dá licença, sinhôr! Se desloque, vai… Mova sua bunda, moça. Não caibo também nesse banco, fica em pé.  Engraçada essa gente toda preocupada, como se não houvesse outra coisa para se preocupar! Credo em cruz, nossa Senhora, que destino triste o desse ser, marcado pra viver  na beira da janela regulando a vida alheia…  E a própria vida? Fica ao léu sem nem preocupar. Carece não, patrão! Te orienta que eu sou moça feita, vim do interiôr e posso não lhe agradar, e faço até questão, pois sou obrigada? Num sô, ora pois! Sou nada. Aceita, dona, que a senhora ta aí um bocado de tempo me analisando e não vai sair nada de mim não! Credo, esse povo nem disfarça. Tem nem vergonha na cara de ser tão zoião em cima duzotro! Que a vergonha sinta eles! Não eu! Não fiz nada de errado. Só existo, persisto e resisto. Tenho escolha? Tenho. E é essa mesma: EXISTIR!

 

on http://fatqueerbabee.tumblr.com/

on http://fatqueerbabee.tumblr.com/

 

 

1 comentário

Adicione os seus
  1. Maiara graziele

    Adorei o blog reconfortante ter pessoas que entendam e idealizem o fato de conscientizar sobre esse conjunto que me identifico negra gorda e além disso sapatao como meus próprios parentes falam .
    Irei adorar acompanhar as publicações.

+ Deixe um comentário