Sapatonize AGosto reune lésbicas negras para discutir afetividades na cidade de Salvador

Sapatonize AGosto reune lésbicas negras para discutir afetividades na cidade de Salvador


No mês de celebração nacional pela visibilidade lésbica comemorado no dia 29 de Agosto, capital baiana vai receber oficina de escrita poética, sarau sapatão, rodas de conversa sobre lesbianidade e negritude.

 

O Sapatonize AGosto é uma atividade organizada pelo Blog Gorda&Sapatão, Odara –Instituto da Mulher Negra e Revista Afirmativa, e tem como objetivo evidenciar as demandas das negras lésbicas e que nesta primeira edição vai começar com foco no debate sobre afetividades. Numa sociedade que rejeita a existência lesbiana como forma de vida válida e respeitável, onde nossa manifestação de afeto é criminalizada  -andar de mãos dadas ainda é perigoso- de diversas  formas e sobretudo, violências físicas e psicológicas são deferidas contra nós. Por isso falar de afeto entre lésbicas negras é colocar nossa vivência no palco da história, sendo tecida por nós mesmas, de forma a fortalecer nossas redes de enfrentamento ao racismo, ao hetero patriarcado, à lesbofobia.
O intuito de promover esse primeiro encontro em agosto é para enegrecer a visibilidade lésbica e também incentivar para que outras iniciativas assim ocorram na cidade;  para que lésbicas negras se reúnam com mais frequência, que possam debater em comunidade os desafios e perspectivas políticas do ser lésbica negra nesta sociedade,  que possamos também estabelecer uma agenda comum e fazer articulação com outras lesbianas em movimento e espalhar nossas visibilidades por onde estivermos, dos movimentos sociais aos espaços da academia, nos órgãos públicos aos setores privados: nós resistimos e existimos! 

ESCREVIVÊNCIA COLETIVA – preta&sapatão 

Buscamos em Conceição Evaristo, nossa griot, para com muito respeito nos apropriarmos do conceito de escrevivência, que consiste na escrita a partir das experiências que temos ao longo de nossas vidas, nomeando muito da nossa escrita marginal, aquela que muitas vezes esquecemos arquivada em algum canto -seja em alguma agenda ou rascunho virtual. Fazendo isso de forma coletiva, traçamos um panorama amplo e plural do que é a vivência lésbica negra partindo de vários pontos diferentes. E esse é o convite: que lésbicas negras escrevam a partir de suas vivências sobre afetividade, amor, dores,  violências, sobre afetos e desafetos, sobre nós mesmas, em suma. E aí que reside a magnitude de escrevermos nossa própria história, partindo de nós mesmas como sujeitas protagonistas e não o olhar do outro – sempre colonizador e fetichizante. A potência da escrita é nos dar a possibilidade de curas, de experimentos, de desafios, de reconhecimentos, falas e explanações que nenhum outro autor poderá escrever com tanta propriedade quanto nós.  Para participar dessa escrevivência coletiva, basta enviar email com seu texto para colaboragordaesapatao@gmail.com, os textos serão publicados aqui no blog e nas redes sociais. Acompanhem usando a #SapatonizeAGosto 

 

 

 

“A nossa escrevivência não pode ser lida como histórias para “ninar os da casa grande” e sim para incomodá-los em seus sonos injustos”.
Conceição Evaristo

 

                                    

Ilustração: Annie Gonzaga; Arte gráfica: Lisandra Pedreira

Ilustração: Annie Gonzaga; Arte gráfica: Lisandra Pedreira

 

 

 


P R O G R A M A Ç Ã O (atualizada)

-> DIA 26/08 (SEXTA-FEIRA)
Às 15h: “Escrevivência poética sapatão”, seguida de sarau sapatão Fora do Armário e lançamento do livro “lundu,”, da poeta slammer tatiana nascimento. No Instituto Mídia Étnica.

-> DIA 27/08 (SÁBADO)
Às 14h acontece as rodas de conversa “Apresentação do blog Gorda&Sapatão” e “Ser lésbica negra em primeira pessoa”. No Instituto Mídia Étnica.

-> DIA 28/08 (DOMINGO)
I Encontro SapatAfro pela Visibilidade LBT ♀♀, no Instituto Cultural Steve Biko

 

 

 

Luana Barbosa, presente!

+ Não há comentários

Adicione os seus