Carta aberta às pessoas heterossexuais

Carta aberta às pessoas heterossexuais


Queridas pessoas heterossexuais,

como estão?

Escrevo motivada por vários episódios ocorridos, vindo de pessoas conhecidas que são participantes da mesma categoria de orientação sexual que vocês aí que me leem agora. Conheço muitas delas, hoje em dia tenho até amigos que são. Mas escrevo essa carta afim de vos deixar algumas insatisfações a fim de que vocês não as repitam mais pois minha consideração por vocês se esgota a cada dia. E bom, eu sou obrigada a conviver com vocês… A sociedade é dominada por esta orientação sexual que por vezes, me oprimi e me desestrutura um pouquinho.

Peço que prestem atenção em todos os pontos a seguir, são de suma importância que vocês, ao menos, pensem sobre o que está escrito aqui.
Eu sinceramente estou de saco cheio de vocês e de suas suposições vocalizadas como se não tivesse problema.
Eu estou cansada de ter que repassar o beabá toda vez que conheço pessoas heterossexuais novas no rolê. Vocês são um problema pra mim. Um problema no sentido de não captarem as informações e se tornarem reincidentes na lesbofobia.
É uma merda ter minha sexualidade questionada a todo instante como se fosse um jogo de perguntas e respostas da 8ª série. Eu também odeio quando minha orientação sexual vira mote de debate e discurso (que nem sempre é o meu) numa roda de conversa descontraída, como se isso fosse inútil ou digna de risada. Porque vocês se acham no direito de nos questionar? Já pararam pra pensar sobre isso? Pois é, acho que hoje pode ser o grande dia, não?
Essa nossa interação social tem se tornado cada dia mais insuportável porque vocês partem do pressuposto de que a heterossexualidade é natural, que todo mundo nasce hétero e que assim deve-se permanecer. Grande engano, caras pessoas heterossexuais, grande engano. É tudo obrigatório, já percebeu? Pois bem, crianças, acho que já passou da hora.
A heterossexualidade compulsória existe como uma das formas mantenedoras do encarceramento da sexualidade feminina, principalmente. Existe para que sejamos divididos e organizados social&politicamente. Há muito tempo atrás, algumas pessoas detentoras do poder, notaram que ao determinar esse tipo de regime sexual resultava numa organização social muito poderosa e lucrativa (porcamente falando). Portanto, é interessante manter uma sociedade na base da heterossexualidade (favor googlar esta parte), fazendo dela a hegemônica forma de relação afetiva-sexual. Logo, indivíduos que romperam suas amarras cerceadoras, se destoam dos demais. Logo, vocês passaram a nos enxergar como anormais, desajustados sociais, quando na verdade vocês é que estão neste patamar por cumprir cegamente uma imposição histórica sem pestanejar (pfvr, sem achar que isso é um ataque pessoal, vai… )
Então, eu sinto muito, mas também não sou obrigada a aguentar toda lama que vocês derramam ao querer interagir conosco, não é? Nada mais justo, então, que um momento desabafo… Uma conversinha. Vocês já tem suas falas garantidas na sociedade, favor fazer um esforcinho e ouvir a minha agora.

Segue algumas considerações fraternas para nossa melhor convivência:

1) “Nunca imaginei que você fosse lésbica, nem parece…!”
O clichê da turma que acha que tá elogiando nas verdade tá cagando pela boca.
ALOU! Quem te disse que essa é uma boa frase a ser dita? Isso não é um elogio, mesmo se você falou num tom descontraído. Não é elogio. Repete comigo: “NÃO PARECER UMA LÉSBICA” NÃO É UM ELOGIO. Sei lá, cola isso na parede do seu quarto caso sua dificuldade seja grande. Não existe um “parecer” lésbica. Esse estereotipo que você tem montado na cabeça é fruto de anos de apagamento e extirpação lésbico. Roupa não define orientação sexual, ninguém te falou isso? Só porque te mostram na tv uma lésbica “””masculina””” não quer dizer que toda lésbica seja assim (PS: Lembre-se que não existe um medidor de lesbianidade, portanto, não vale também dizer “nossa você parece super lésbica mesmo”. Pare de querer encaixar as lésbicas no seu molde!).
Isso não cola e eu achei que vocês já tivessem passado dessa fase, mas acredito cada vez mais que não. Infelizmente. Não sei se é burrice exacerbada ou o quê, mas ninguém tem que andar por aí de acordo com sua orientação sexual. As pessoas se vestem de acordo com que acreditam ficar melhor para elas. Cada pessoa adquiri, ao longo da vida, sua identidade visual e ela não deva ser motivo de apontamento para um ou para outro tipo de sexualidade, obrigatoriamente.
Foda-se que a maioria das lésbicas que você conhece são assim ou assada. Isso não diminui o fato de que dizer que fulana nem parece lésbica é lesbofóbico, ridículo, infantil.

2) Quando você virou lésbica?
Quando você virou idiota? Bom, porque uma pergunta dessas não dá muito pra responder outra coisa, convenhamos.
Virar lésbica. Isso simplesmente não faz sentido. Eu sou lésbica, nunca virei nada. Você virou hétero quando?

3) Sua família já sabe? Como reagiram?
A menos que você tenha intimidade suficiente ou abertura suficiente para tal pergunta: NÃO FAÇA! O que muda na sua vida sabendo como minha família reagiu ao saberem que sou lésbica? Jura que isso fará toda diferença na sua vida? Aposto que não. Então, é de bom grado(pra não falar outra coisa) que não se pergunte isso logo de cara. Aguarde a amizade acontecer e se a lésbica quiser, ela vai te contar. Se houver um momento propício a isso e for consentido da parte dela, então vocês vão falar disso. Caso contrário: cale a boca. Fica na sua.

4) Você teve algum trauma com homens??
Essa é a pergunta que faz esquecer dos direitos humanos e me faz ter vontade de agredir o autor. É a fatídica pergunta lesbofóbica misógina que parte do pressuposto de que você só é lésbica porque um homem não te come direito, logo, se um homem te comer direito você não será mais lésbica.
Daí, quando surge algo desse tipo, eu faço questão de cortar a conversa e possível relação por motivos óbvios.
Nenhuma lésbica precisa passar por um trauma para viver sua lesbianidade . O mundo não gira em torno do homem com pênis. A sexualidade da mulher não depende alguém. Favor entender isso de uma vez por todas e nunca mais se quer, pensar sobre.

5) Pelo menos você não precisa se preocupar com DST’s e gravidez, né? (risos)
Como se toda lésbica tivesse vulva-vagina-útero-ovários-trompas etc né? Como se toda lésbica rejeitasse a ideia de gerar uma criança, né? Como se todas nós NÃO corrêssemos o risco de ser estupradas por aí, né ?
E aaaahh é, porque o sistema imunológico de uma lésbica é automaticamente imune porque ela é >>>>>>>>>>> lésbica!
Olha, antes fosse, talvez assim eu ficaria mais tranquila na hora de trepar…já que meu corpo tá blindado pras doenças e tal. No entanto, não é isso que acontece. Fisiologicamente falando, somos iguais, vulneráveis e expostas. Não somos imunes às doenças bem como vocês, heterossexuais, não são. Então porque diabos você acha essa pergunta plausível? Reflete aí.

6) Ahhh que pena que você é lésbica!
Pera, não entendi… Pena pra quem ? Isso é o combo da ofensa quando combinado com o número 1. Você lamenta pela minha lesbianidade como se fosse ruim ser lésbica… Você lamentaria se eu não fosse?
Mais uma pausa pra reflexão.

7) Eu tenho uma amiga lésbica pra te apresentar!!
Isso é muito engraçado porque quando você fala que é lésbica as pessoas, automaticamente, acham que podem te apresentar outras lésbicas só pelo fato delas serem >>>>>>>>>>>>>> LÉSBICAS!
Já passaram pela cabecinha heterossexual de vocês que ser lésbica NÃO É UMA CARACTERÍSTICA DE PERSONALIDADE?
Então, não é. Reflita + um pouco.

8) Você já ficou com homem para ter certeza se é lésbica?
Novamente, você inferindo que eu preciso de um homem pra ter certeza do que eu sou. Eu odeio essa pergunta. Nunca faça isso. Sim, estou cagando regra porque esse tipo de pergunta é violenta. Volte algumas casa até o número 4 e reflita mais.

9) Quem é o homem da relação?
JESUS FODENDO CRISTO PORQUE VOCÊ ACHA QUE EXISTA UM HOMEM NA RELAÇÃO ENTRE>>>>>>>>>>>>>> MULHERES?
Hein, pessoa heterossexual? Porque? Porque perguntar isso ao casal de lésbicas que você diz serem suas amigas. Vocês não são amigos, né? Pera lá, porque uma pergunta dessas nem de longe é de amizade, na minha visão.
Se as lésbicas estão afirmando que se identificam como mulheres porque você questiona a representatividade do papel “”””homem”””” nessa relação? Ou melhor: porque diabos você acha que pode mesmo perguntar isso? Não, você não pode e não deve perguntar isso. Primeiro porque é lesbofobico e segundo porque NÃO. Você pergunta ao seu casal de amigs heterossexuais quem é o homem da relação? Pois é, por motivos óbvios você não faz isso, então porque acha mesmo que deva fazer quando são duas lésbicas conversando contigo? Passe longe com a sua heteronormatividade! Eu sugiro que vocês a descarte, mas se isso for demais pra você, é só passar longe mesmo.
Pensa, vai…

10) Posso participar? Sou um homem lésbico, gosto de mulher também.
Talvez essa seja a pergunta mais violenta que vem atrelada a uma piada porque sempre vem daquele homem que banca o espertão achando que vai conquistar geral. Essa frase sempre é dita pelos caras escrotos que nos enxergam como fetiches, uma tara que só beneficia a eles.
Desconstrói essa merda da sua cabeça. Nós não somos seus fetiches e vocês não podem participar de nada conosco. Vocês não podem participar de nada que não tenham sido convidados, entendeu?

Esses são os 10 pontos mais problemáticos que eu identifico em vocês à essa hora da madrugada (escrevo às 05:51 da manhã). São perguntas que eu gostaria de não ouvir mais, sabe… Pois estão carregadas de violência e presunções ridículas. Portanto, conviventes heterossexuais, repensem suas falas diante de uma lésbica ou então nem inicie o papo.
Fica registrado meu desgosto ininterrupto por vocês. Sei que a nossa sociedade machista patriarcal conduziu tudo para chegássemos a esse ponto da lesbofobia, mas olha só, isso não DEVE ser um meio de vida, uma desculpa.
Existem inúmeras maneiras pelas quais você consegue rever seus privilégios e não falar bosta. A maneira mais eficaz é: OUÇA. ABSORVA. REFLITA. Não tente explicar que você não “quis dizer isso” (porque você quis sim e DISSE), só peça desculpas e lide com isso. Não repita mais o erro, não é difícil. Enfie o rabinho entre as pernas quando uma lésbica falar que a sua pergunta foi lesbofóbica e cretina. Põe a mãozinha na consciência quando uma lésbica te dizer que esse tipo de pergunta ela NÃO VAI RESPONDER. Não insista em hipótese alguma. Engula a seco. Respire fundo. Se precisar, vá dar uma volta. Se achar melhor, nem volte. Só não persista num erro violento.
Entendam que nós, lésbicas, não somos seres inanimados onde você pode fazer e refazer perguntas ou apontamentos ao seu bel prazer.

Não vou me desculpar pelas palavras usadas neste texto pelo simples fato de que, historicamente, todas as lésbicas vêm sido alvo de constantes violações e apagamentos por parte das pessoas heterossexuais.
Minha raiva e minha vontade de não ter mais contato com vocês é legítima pois viver apanhando deixa marcas irremediáveis.

Espero que façam bom proveito.

Atenciosamente,
Gorda e sapatão

28 Comentários

Adicione os seus
  1. Márcia Vasconcelos

    Caralho você é a melhor eu já respondi todas essas pergunta ,mas nem de longe com esse brilhantismo ! adorei o Jesus fodendo Cristo ( desculpa ai galera da religião mais foi foda ) parabéns Mulher eu tenho uma queda ,alias uma despencada pela forma que você escreve me faz um favor? Não para !

  2. Ivan Volkov

    mas tipo, no tópico 7, é a mesma coisa em relação aos heterossexuais quando falam assim por exemplo: ”ah tenho uma amiga pra te apresentar” ”ah tenho um amigo meu pra te apresentar” é normal isso, você esta vendo ofensas onde não existe, acho que na verdade voce tem heterofobia

  3. João pedro Marin lima

    Isso que vcs tem e falta de rola
    vocês deviam perceber que cada um tem seu ponto de vista e voces deviam respeitalo 🙂
    vocês falam de lesbofobia mas vocês tem heterofobia vocês parecem Nazifeministas 🙂
    vocês generalizam todos vocês não merecem nem poder entrar na internet eu li tanta a merda agora que eu acho que to morrendo xau vo pro infeno mt melhor que ler esse texto

  4. Leonardo

    Então para você heterossexualidade é algo anormal? Então a perpetuação da especie também não é normal? É só uma forma desse nosso governo capitalista opressor machista ganhar mais dinheiro? E quanto ao cristianismo? Que é seguido pela maior parte do mundo e o qual não é a favor da homossexualidade, na propria biblia diz isso, é entao um livro capitalista opressor? Sua forma de pensamento é como se houvesse uma conspiração contra as lésbicas, quer lidar contra a opressão, sendo opressora.
    Vivemos em uma democracia, em um país que pelo menos teoricamente, há a liberdade, então sou um homofobico por fazer comentarios sobre vc? E alias, lembre-se: se eu te ofendi com algum comentario, logo vc pode me ofender tambem, estamos numa democracia.
    Sou hetero e sempre numa rodinha quando tem alguma pessoa nova comenta algo sobre mim como “Nossa, achei vc que era mais chato/metido” Entao agora essa pessoa é heterofobica? Pelo amor de Deus. O que mais me parece é que vc tem odio dentro de vc por ter nascido mulher, e quer por esse odio pra fora sendo uma FemiNazi que se ofende por tudo e por todos.
    Essa setima é a mais ridicula 7) Eu tenho uma amiga lésbica pra te apresentar!! QUAL O PROBLEMA? Ja perdi as contas de quantas vezes eu quis apresentar algumas amigas pra alguns amigos e vice-versa, isso é algo anormal? em que mundo voce vive? Parece que vc perdeu a noçao do que realmente é homofobia. Comentar que vc nao parece lesbica não é homofobico, quer ver o que realmente é? Vai la passear no Oriente Medio, ai se voce voltar viva a gente conversa.

    E por fim, quero lhe fazer uma pergunta, em casa que lava a louça sou eu, minha mulher é uma feminista opressora ou isso não se aplica quando o jogo é invertido?

  5. Márcia Vasconcelos

    Que isso jovem ficou nervosinho porque? falta de rola? ja que esse é o nosso remédio também deveria usar ,acredito que antes de fazer recomendação você deva fazer testes e como afirmou com tanta propriedade sabe que rola é bom né?
    Mas nos dispensamos, e acho que você deveria sair do armário se joga, se libertar faz bem ta? e como estou recomendando é porque ja experimentei, e não pense que minha sugestão de vc ser um gay que ainda não se assumiu tem a pretensão de ofender você não na verdade ser gay é algo maravilhosos porque estamos falando mais de felicidade do que necessariamente com quem transamos
    Beijos e se joga !

  6. txio

    Achei todos os textos e respostas bem ofensivos…
    Namorei por quase um ano uma lésbica, nosso relacionamento era muito bom e conheci muitas outras lésbicas durante o tempo que eu estava com ela, mas o teu texto é ridículo, todo esse teu “desabafo” faz com que muitas pessoas que não conheça algumas lésbicas acreditarem que todas são da maneira que você descreveu no texto, arrogante.
    Fica difícil respeitar quando o teu ponto de vista não respeita o próximo que seria o básico não?

  7. Jéssica Ipólito

    não se aplica.

    O resto eu fiz questão de ignorar porque você defecou pela boca. Favor reler o texto e refletir melhor sobre isso.

  8. Nenis Vieira

    Não existe uma! Por favor né.
    A propósito, belo desabafo. Acho que todos os pedidos de reflexão foram ignorados, mas tenho certeza absoluta que muitas lésbicas estão gratas. Sou uma delas. ♥♥

  9. Bruno

    Lí todo o texto, e posso resumir pra não quiser: Não tente puxar conversa com uma lésbica! Ela vai ser grosseira com você, independente do quanto tente se aproximar dela!!

    **É óbvio que não estou falando sério, conheço lésbicas inteligentes**

  10. Mariana

    Se um heterossexual diz: Não quero viver com homossexuais -> homofobia
    Se um homossexual diz: Não quero viver com heterossexuais -> natural oras bolas

    Heterofobia existe sim.

  11. Beatriz

    Jéssica, presencio muito isso com amig@s … sou “heterossexual” (nasci mulher e nasci gostando de homens), não passo nem 1/3 do preconceito que vocês passam, mas quando escuto algum comentário desses citados por vc fico chateada e revoltada.
    Não me encaixo nesses “heterossexuais” que vc citou … não acho justo você generalizar.
    Sou human@… e “talvez infelizmente” nasci gostando de homens. Você fez um bom texto, porém ofensivo , não é dessa forma que atingimos nossos objetivos feministas, eu tbm luto contra o machismo, a homofobia, principalmente lesbofobia.

    Um beijo.

  12. Jéssica Ipólito

    Oi Beatriz, tudo bem?

    Acho engraçado quando vocês, pessoas heterossexuais, pedem para não generalizar. Sério, acho mesmo.
    Esse pedido é de uma falta de empatia grotesca, sabe porque? Porque se você sabe que não se encaixa “nesses heterossexuais” então porque se preocupar? Porque pedir para ponderarmos toda violência que sofremos por causa de raríssimas exceções ?

    Desculpa, mas isso não é sobre você. Não é sobre Beatriz, individual. Esses heterossexuais que falam essas e outras coisas, fazem sim parte da mesma categoria social a qual você pertence e você se destoa dela por entender o quão esdrúxulo é ir contra a orientação sexual de cada um. Você é uma. Esse texto não foi pra você. Esse texto foi para todas as pessoas heterossexuais escrotas preconceituosas, porque querer defender o lado dessas pessoas, pedindo para ~não generalizar~, sabendo que é sim uma maioria que faz essas coisas?

    Eu fico muito triste de ler isso, porque sempre me causa a impressão de uma empatia mascarada e bem frágil. E isso é bem sintomático e preocupante.

    Espero que me compreenda,
    abraços.

  13. Jéssica Ipólito

    Oi Mariana,

    Ao afirmar isso, você simplesmente ignora toda a carga histórica-cultura que a heterossexualidade exerceu e exerce na humanidade. Você descartou por completo todas as lutas por sobrevivência das pessoas homossexuais, que justamente não conseguiam (e ainda não conseguem) sobreviver dignamente porque pessoas heterossexuais as perseguiam e as matavam.
    Você ignorou também o fato de que heterossexuais não morrem por preconceito à orientação sexual. A heterossexualidade não é proibida, não é suja, não é mal quista, não é indigesta, não é nojenta. Ela é, erroneamente escrotamente considerada como “normal”. Enquanto, nós, lésbicas -bissexuais-gays, somos perseguidas por justamente agir de acordo com o que sentirmos.

    Então não existe heterofobia, essa é uma falsa simetria inventada pra ludibriar os preconceitos existentes.

    Espero que você possa ter empatia e compreender isso.

    Abraços

  14. Regina

    Olá Jéssica!
    Entendo seu desabafo….
    Lendo o texto, e alguns comentários, penso em o quanto as pessoas são medíocres.
    Continue sendo verdadeira e sincera com vc mesma, sempre, e nunca desista de viver sua vida e feliz. Se afaste de quem não te faz bem.
    Te admiro pela sinceridade, e te desejo felicidades.

  15. Núbia

    Linda Jéssica Ipolíto..
    Sou lésbica e muito bem representada pelo seu texto!!!!!!!!! parabéns! 🙂 de verdade. A agressividade, talvez as pessoas não entendam, mas é pela repetição e por tudo o que isso representa no quesito “continuando com a invisibilidade lésbica” que tantas pessoas nem sabem o que significa.
    bjinhas

  16. Olívia

    Não achei o texto nenhum pouco ofensivo e enquanto pansexual (ou bissexual pra quem não entende de nada) me identifiquei muito. 😀
    Esse blog foi um dos que me fizeram criar um tambem ^^

    Abraços

  17. BRUNA

    Sensacional seu texto!

    Sou heterossexual e concordo com tudo o que diz, inclusive, seu texto me faz ficar envergonhada pois percebo que, mesmo sem nunca ter perguntado nada do que expôs no texto a uma lésbica, sou mantenedora de muitos preconceitos e todos os dias tenho que ter o propósito de quebrar todos eles.

    Infelizmente percebo que quem coloca o rabinho entre as pernas são justamente as pessoas que já passaram por um processo maior de reflexão e exercício de empatia, quanto aos outros, tento ter esperança todos os dias, mas confesso que as vezes é difícil.

    Quando encontro pessoas como você, posso dizer que essa esperança de mudança se reafirma em mim, quem milita pela defesa das minorias sempre consegue perpetuar boas reflexões e transformar, pouco a pouco, o mundo em que vivemos.

  18. Verônica Hiller

    Oi, vi teu texto no Lugar de Mulher e achei realmente muito bom. Você expôs perguntas/comentários comuns que ouve-se por aí com muita naturalidade, e destrinchou-os de maneira muito didática (e sarcástica, rs) para a galera sem noção. Só não curti a generalização de que todos os heterossexuais fazem perguntas do tipo e pensam que toda essa babaquice seja tranquila para quem a enfrenta. Sou hétero, nunca fiz perguntas assim para ninguém e ficaria com vergonha se tivesse que as fazer. Mas divergências à parte, texto sensacional e que todos deveriam ter a obrigação de ler.
    Beijo!

  19. Silvia

    Você esta cercada de alguns heterossexuais bem babacas e intrometidos! Melhore suas companhias: o problema nunca esta na orientação sexual nem quando se é homessexual e nem quando se é heterossuxual. Babacas são babacas com qualquer orientação sexual! Não generalize

  20. Jéssica Ipólito

    Oi Silvia,

    sinto muito por você ter se sentido atingida pelo texto. Quem pede para não generalizar, é porque foi atingido. E eu não sei bem como explicar pra você (e pra outra pessoa que comentou que eu generalizei); mas veja: Não é pessoal. Se você é heterossexual e não faz esses tipos de coisas, ou então, se você conhece pessoas heterossexuais que NÃO fazem esses tipos de coisas: Que maravilha! Ótimo! Sério, isso é realmente legal. Mas eu não vou lidar com as exceções, sabe Silvia? Pessoas heterossexuais que não fazem esse tipo colocação, são exceções. Sou eu que sinto isso todo dia, então posso te afirmar. Eu sei que existem pessoas babacas de todas as orientações sexuais! Mas o meu apontamento foca direto nas pessoas HETEROS.

    Só acho injusto, mas compreendo seu comentário.

    Um beijo.

  21. Jéssica Ipólito

    Oi Verônia,

    Obrigada pelo elogio.

    Eu sei que nem todas as pessoas heterossexuais fazem isso, Verônica. Eu tenho alguns poucos amigos/amigas heteros que não fazem isso porque não são babacas. Mas veja, são exceções. E eu não vou falar das exceções uma vez que elas estão aí tranquilas e sem perturbar a vida alheia. Eu vou falar daquilo que o senso comum diz. Vou apontar e denunciar esses tipos de coisas sempre. Eu sugiro que você não leve para o pessoal. Uma característica demonstra se a pessoa se ofendeu com o texto em questão -em alguma instância- é essa, de dizer “não generalize”. Eu não estou falando de você ou dos seus amigos que não fazem isso. Eu falo de outros, daqueles que você não conhece mas que já fizeram isso um dia pra mim ou outras minas.
    Eu sempre fico em dúvida se consigo me fazer entender quando respondo um ‘não generalize’. Só peço que não esqueça em qual contexto esse texto foi escrito:
    Uma lésbica, negra, gorda que vive e sobrevive em uma sociedade heteronormativa, lesbofóbica, racista; que força goela abaixo que a minha felicidade só será com um homem; que minha sexualidade é fetichizada ou ridicularizada.
    Enfim… espero que compreenda.

    Um beijo.

  22. Greg Candalez

    Poxa. Acho que o título deveria ser “carta aberta às pessoas heterossexuais homofóbicas (ou imbecis)”.
    Sou hétero e vim ler, super curioso, e fiquei um pouco desconfortável. Acho que o título generalizou tanto quanto os homofóbicos generalizam os gays, e isso é ruim pra todos os lados. Tenho amigos e familiares gays e já os presenciei passando por esses mesmos episódios e qualquer pessoa com um mínimo de empatia se sentiria tão mal quanto eles.
    Pena que nosso mundo é habitado em maioria por gente grosseira e ignorante.

+ Deixe um comentário