#8 compartilhado

#8 compartilhado


Olá. 

Desde agora, li o texto sobre você conhecer garotas, de todos os tipos.
O que tenho a falar é que gostei, ele expressa bem o efeito que o padrão estético tem em nossa mente..em nossa alma.
Acho que senti vontade de deixar-la me conhecer, ou simplesmente senti vontade de falar algo que senti sobre o texto.

Por: Nathalie Inês

 

Olá Mais uma vez.
O que posso dizer sobre meu corpo é duvidoso, mas se eu fosse falar algo diria *Eu não sei o que sou, só sei que sou*
É confuso as vezes olhar ao espelho sem chorar, e olha, que como taurina com lua em virgem eu seguro essa dor calada.
Lésbica desde sempre, acordo um dia sendo um moço, acordo no outro sendo uma moça e no outro acordo me perguntando o quão hipócrita eu sou.
Como não sei se sou moço ou moça luto para ter um corpo que me deixa nula, parece loucura? Parece pura estética, parece qualquer coisa que não seja normal, mas essa é só minha dor. Carnal e sentimental.
Quando meus seios começaram a nascer achei que nunca mais poderia jogar bola, e não joguei..
A luta diária com meu corpo me agride de tal modo que passo 3 a 5 dias só ingerindo liquido para emagrecer rapidamente. Tudo isso para não ter seios, para não ter quadril, para não parecer uma “meninamoçamulher”.
Ao mesmo tempo que luto para isso, gosto de passar meu batom, então eu termino de passa-lo e vejo meus olhos enchendo de lagrimas diante do espelho, é nessa hora que eu penso em ser uma aberração. E o batom..sai
Um vomito que sai diariamente não é mais uma luta e sim uma meta.
As laminas que já cortaram meu seio silenciaram-se depois de calmantes.
O que é melhor? Dó maior ou Dó menor?
Quem sabe? Eu posso ser os dois.
O meu corpo hoje, está uma lastima, estou cansada e com fome. Estou pálida e manchada, menstruação atrasada e olhos opacos. Estou amarela.
Mas quem quer ouvir a hipocrisia de uma lésbica que mora numa lar cristão?
Só o e-mail que por obsequio encontrei num texto que iluminava uma pequena escuridão.
10 anos atrás colocaram-me para aprender piano.
Hoje vejo que esse é minha unica motivação.
Minha vida, pode não ser em vão.
Enquanto olham para mim esperando que eu toque uma sinfonia com esmalte na mão,parece estranho, mas você consegue imaginar a discórdia em minha vida sendo uma..PIANISTA SAPATÃO?
Depois disso tudo, apenas digo que vivo a deriva enquanto estou em minha mesa de escrita.
Hoje meus amigos se sentem livres para me chamar de moço. minha namorada chama de qualquer coisa que tenha um pronome nulo. Não sei quem ensinou ao mundo que eu queria ser tratada assim, mas pelo visto talvez minha loucura seja tão clara para o mundo quanto pra mim..

Nathalie Inês da Silva
18 anos.
São Paulo, SP.

+ Não há comentários

Adicione os seus